sexta-feira, 1 de junho de 2007

Uma história triste com um final feliz

Sentimo-nos finalmente preparadas para partilhar com vocês uma história triste mas com um final feliz.
Uma das gatas que esterilizamos a que demos o nome de Pintinhas depois do pós-operatório, foi devolvida ao meio ambiente que tão bem conhece numa segunda-feira e apareceu numa quinta-feira ao fim da tarde doente. Inicialmente não nos preocupamos pois disseram-nos que ela poderia não aparecer durante alguns dias, mas a verdade é que já estávamos a começar a ficar preocupadas. Quando ela finalmente apareceu ainda pediu que lhe déssemos comida mas havia qualquer coisa de estranho no seu olhar.
Nesse mesmo dia comeu e só voltou à noite e foi aí que parou de comer e que os seus olhos começaram a parecer ser mais estranhos. Uma de nós foi ter com ela e viu que estava muito apática. A gata apenas bebia muita água e miava muito. Decidimos que era melhor apanhá-la e levá-la ao veterinário que lhe tinha feito a esterilização. Mas como a gata estava sem apetite raramente aparecia, e por vezes esperávamos até as duas da manhã, mas nada dela. Só no domingo seguinte é que conseguimos apanhá-la. Na segunda-feira foi vista pelo veterinário que me contactou a dizer que a gatinha estava muito desidratada e que já estava no limiar da sobrevivência. Os olhos estranhos significavam uma profunda desidratação. Fez-se o teste FIV e FELV para descartar hipóteses. O resultado foi negativo o que foi um tremendo alívio para nós. Mas ainda não sabíamos o que nos esperava, a aflição pela qual iríamos passar e a culpa que haveríamos de sentir. Foram feitas as análises ao sangue e soubemos que a gatinha estava com uma insuficiência renal aguda.
Não se sabe a causa da insuficiência real crónica. Apenas se sabe que foi a esterilização que despoletou a insuficiência renal aguda. O veterinário perguntou-nos até onde estávamos dispostas a ir com esta gatinha e, embora não tivéssemos forma de pagar o tratamento, pedimos-lhe para fazer tudo o que deve ser feito para que ela superasse tudo isso. O dinheiro de uma forma ou outra acabaríamos por obter mas a vida dela não.
Esteve três dias com uma sonda, mas como ainda não tinha apetite e não se deve deixar estar a sonda num animal mais do que três dias, foi-lhe introduzido um tubo no esófago. Foi um risco pois foi necessário anestesiá-la. Mas ela sobreviveu. Dias e mais dias se passaram ela sempre paradinha em cima da botija de água quente.
De repente, ela começou a reagir. Retomou a sua higiene, e começou finalmente a comer. Passados dias, ela já estava completamente diferente e teve alta. Está connosco até agora. Está a comer uma comida de dieta. A sorte dela é que ela apesar de selvagem é muito agarrada ao seu espaço. Não anda no meio da rua pois é uma gata muito assustada. Sabíamos desde o início que esta gata não seria adoptável uma vez que é brava, mas mesmo assim tentámos ajudá-la, pois achámos que a vida dela não vale menos de qualquer um dos outros gatos e também pois não podíamos desistir dela quando a esterilização era de facto a causa da insuficiência renal aguda.
Ela ficou quinze dias internada, e como devem imaginar ficamos com uma conta bem grande… 410.90 euros Por isso, vimos pedir umas moedinhas para nos ajudar a diminuir a conta. A sério, qualquer ajuda mesmo que seja 2 eurinhos já ajuda.

Obrigada a quem puder ajudar!
Actualização:
A pagar: 410.90 €
Donativos: 110.00 €
Em falta: 300.90 €


Aqui ficam o antes e o agora desta menina:

Antes




O Agora...


a pedir comida...


a tirar uma soneca...


a tentar esquecer o pesadelo pelo qual passou...


a vigiar o que fazemos...


a conta...



1 comentário:

Helena disse...

Oh, que lindinha! Coitadinha! Ainda bem que já está boa. Espero que consigam muitas ajudas! Bjs ***